ARTIGOS

03/10/2019

APÓS 73 ANOS, JOGOS DE AZAR PODEM SER LEGALIZADOS

Guia - Hotéis - Convenções

Um tema que vem dividindo opiniões entre especialistas e críticos da área de turismo, é a legalização dos jogos de azar. A proposta que pode regulamentar a questão já está pronta para ser analisada pelo plenário do Senado e da Câmara, porém há quem discorde da medida.

 

A atividade dos casinos era permitida no Brasil até 1946, cuja última roleta foi girada no casino do imponente Hotel Copacabana Palace, em 30 de abril daquele ano. Na época, havia cerca de 70 casinos no país e 40 mil trabalhadores na indústria de jogos. A proibição teve um forte efeito econômico em cidades que viviam do turismo ligado aos jogos, como Petrópolis, Poços de Caldas, Lambari e outras.

 

A estimativa é gerar mais de 200 mil novas oportunidades de trabalho, formalizar 450 mil empregos e desenvolver regiões em função do turismo, criando verdadeiros centros de jogos de azar. Um fato que prova como estamos na contramão do progresso é: no G20 (grupo formado pelas 19 maiores economias do mundo mais a União Europeia), além do Brasil, somente Indonésia e Arábia Saudita não legalizaram este setor, mas por questões religiosas, assim estamos perdendo excelentes oportunidades de desenvolvimento não apenas do turismo, mas em toda sua cadeia produtiva e diversos outros setores que seriam impactados por suas atividades.

 

“O Brasil não pode perder essa chance. Precisamos avançar, chegarmos a um consenso e colocar esse assunto em pauta. A regularização dos jogos, também em pequenos casinos, certamente será mais um fator de fomento econômico, formalizando a atividade e criando novos mercados e outros atrativos que certamente aumentarão os números do turismo brasileiro e, por consequência, os números da economia nacional, levando mais desenvolvimento a várias regiões do país em pequenas e grandes cidades.” Diz Manoel Linhares - Presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH Nacional).